segunda-feira, 9 de maio de 2016

É O FIM DA PICADA: Policial morreu porque não tem papel para imprimir seu porte de arma

Algo que um cidadão comum jamais imaginaria acontecer no Rio de Janeiro, por desconhecer a realidade que o policial militar vive nesse estado, mas, que para quem é policial já era provável que em algum momento iria acontecer, aconteceu: A falta de papel para imprimir um porte de arma do policial causou uma morte. O policial militar executado ontem no completo do Alemão morreu simplesmente porque seu porte de arma não foi confeccionado por FALTA DE PAPEL. É isso mesmo senhores. O policial militar já tinha dado entrada no chamado CRAF (documento de porte de arma do policial), tinha comprado a arma, no entanto, não podia andar armado pelo fato de há meses não haver papel para imprimir tal documento. O resultado foi mais esta morte de policial militar, que talvez poderia ter sido evitada, caso o policial estivesse armado e tivesse assim alguma chance de defesa.

É inadmissível que um policial militar teve que morrer para que este problema viesse a tona e assim fazer que agora a administração da polícia militar tome uma atitude para solucionar esse problema da falta de papel para imprimir o Craf e agilizar tal processo. Mesmo com papel o policial leva quase meio ano para adquirir uma arma de calibre não restrito, e um ano ou mais para adquirir uma arma de calibre restrito. Isso é absurdo!

E sabem o que o secretário de segurança, José Mariano Beltrame, que esteve no enterro do policial, falou? Que o correto seria o policial militar ter acautelada uma arma assim que terminasse o curso de formação. Como assim, Beltrame?! O senhor está há quase 12 anos como secretário e só agora vem falar disso, agora que um policial morreu por não ter uma arma para se defender? Ele teve a coragem de falar isso durante uma entrevista hoje... Acreditem se quiser!

Ou seja, ele como secretário conhece os problemas e nada faz para resolver. É um absurdo o policial civil ter uma arma acautelada quando se forma e um policial militar não ter. Qual a diferença entre as polícias que o senhor comanda, hein, Beltrame? Por que o policial militar não tem arma acautelada quando se forma? Por que a PMERJ tem um efetivo maior? Isso não é desculpa! Inventa outra. Um secretário de segurança que privilegia uma polícia e só ferra a outra, não serve para ser secretário de segurança.

O policial morrer porque não tinha papel para imprimir seu porte de arma é algo até vergonhoso. Outras polícias pelo Brasil a fora e pelo mundo devem estar com o "queixo caído" ao saber disso. Agora eles sabem que o policial do Rio de Janeiro não tem um "chuchu" para se defender e tem que esperar quase um ano pra ter sua arma e que o estado nem papel tem para imprimir seu porte. É uma vergonha para o mundo, a polícia que vai fazer a segurança das olimpíadas, não ter papel para imprimir um porte de armas.

Infelizmente alguém teve que morrer para fazer com que esse descaso com o porte de armas dos policiais tenha uma solução. É esperamos mesmo que tenha uma solução. Pois, não é possível que não vão fazer nada pra resolver isso mesmo diante de uma morte de um policial por não ter tido a chance de se defender.

O que dizer para a mãe, esposa e filhos do policial que morre por não ter papel para imprimir um porte de armas? "Minha Sra, infelizmente não tinha papel para imprimir o porte de armas do seu marido." Pelo amor de Deus!!!

Policial não pode andar desarmado, gente! Isso é vergonhoso!!! Depois querem mandar a polícia reservada prender um policial porque o mesmo está portando arma fria. Então dê condições para os mesmos terem uma arma legal. A polícia militar tem sim condições para acautelar armas para todos da ativa. Só falta vontade. Mas sabem porque o comando geral não briga por isso? Porque um oficial da corporação pode ir na Rumb de um batalhão e acautelar uma pistola na hora que bem entender. Então os praças que se "virem nos trinta". Essa é a mais pura verdade. Se os oficiais da polícia militar precisassem comprar armas e esperar o Craf ficar pronto, as coisas andariam mais rápido. Sempre foi assim e nunca vai mudar. Vai demorar uns 200 anos para que a mentalidade de quem comanda essa instituição mude e que as coisas comecem então a melhorar para todos.

2 comentários:

  1. Reajustes salariais são obrigatórios, conforme determina o Inciso IV do Artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo..."). O Salário Mínimo Necessário, de acordo com o referido dispositivo constitucional, é de R$ 3.795,24, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O cálculo é feito mensalmente desde 1994 pelo DIEESE com base em valores da cesta básica. Um Soldado da PMERJ ganha apenas R$ 2.382,89. DEFASAGEM: Salário do SD PM está R$ 1.412,35 abaixo do Salário Mínimo Necessário. Garçom desligado do Palácio do Planalto, onde trabalhava há nove anos, José da Silva Catalão, de 52 anos, recebia um salário líquido de R$ 3.870,00, segundo o Transparência Brasil. Isso explica o quadro de desmotivação dos Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  2. isso vem de longe..... quem é treme terra e tem vergonha na cara sabe que sempre foi assim. ainda bem que recebi a metade do meu salário.

    ResponderExcluir

COMENTÁRIOS